_NOTÍCIAS

CineMarias seleciona bolsistas para LAB AUDIOVISUAL

Até 21 de junho, o LAB Audiovisual CineMarias recebe inscrições de mulheres de comunidades da Grande Vitória interessadas em aprender cinema

Por Rayanne Matiazzi
05/06/2022 13:27

A 2ª Edição do LAB Audiovisual CineMarias está com inscrições abertas até 21 de junho para mulheres da Grande Vitória que queiram aprender a fazer cinema e discutir a violência contra a mulher nas telas. As selecionadas irão participar do LAB Audiovisual CineMarias, que será realizado entre junho e julho deste ano em Vitória (ES), com bolsa-auxílio de R$ 600,00 para cada participante. As inscrições podem ser feitas pelo site www.cinemarias.com.br.


Podem se inscrever mulheres cis, trans, travesti e pessoas não-bináries com idades entre 18 e 35 anos. A ação busca proporcionar às participantes formação e qualificação técnica básica na área de audiovisual, trabalhando de forma poética e artística, a reflexão e a memória sobre a mazela social das mulheres em situação de violência, e a falta de representatividade feminina no cinema, na mídia e nos espaços de poder.


Fomentar esse debate por meio de formações/ capacitações para jovens mulheres se faz necessário em um estado que ocupa o 5º  lugar no ranking de feminicídio do país, segundo análise do Conselho Nacional do Ministério Público realizada em 2017. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) do Espírito Santo, em 2021, 38 mulheres foram vítimas de feminicídio no estado, número maior que em 2020, que registrou 26 vítimas. 


“O LAB imersivo foi o projeto que fez com que eu me redescobrisse enquanto mulher. Eu comecei a pensar em fazer faculdade porque eu vi muitas mulheres fortes e queria ser assim também. Descobri com o Cine que eu sou capaz, que eu posso ser livre e dar orgulho para os meus filhos e para minha mãe”, conta Franciele Rufino, 27, que participou da primeira edição do projeto em 2021.


As atividades do LAB 2022 resultarão em produções que misturam cinema e poesia. Serão realizadas videoaulas, aulas presenciais e encontros online de Roteiro, Direção e Montagem, além da oficina de produção de filmes-poesia “Existo Porque Resisto” com a cineasta convidada Joyce Prado. Os filmes serão inspirados em denúncias feitas com base na Lei Maria da Penha e nas vivências pessoais das participantes.

Todos as obras produzidas pela alunas serão exibidos em Sessão Especial durante a 1A Mostra CineMarias - Corpo é Território, que acontecerá no Cine Metrópolis, de 1 a 3 de setembro, em Vitória (ES).


O CineMarias tem o patrocínio da ArcelorMittal e apoio da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Cine Metrópolis; Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça, e  do programa Agenda da Mulher da Vice-governadoria do Estado do Espírito Santo. A produção é da Lúdica Audiovisual e a realização da Puri Produções e Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo – Governo Federal, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.




Vagas e inscrições


Serão ofertadas 30 vagas com bolsa-auxílio de R$600,00 para cada participante. O público são mulheres cis, trans, travesti e pessoas não-bináries, de 18 a 35 anos, prioritariamente residentes nos bairros abrangidos pelo Programa Estado Presente do Governo do Estado do Espírito Santo ou inscritas no CADÚnico. As inscrições serão realizadas de 2 a 21 de junho de 2022, exclusivamente por meio eletrônico. As candidatas devem acessar o site www.cinemarias.com.br e preencher o formulário de inscrição. 



Programação 


O LAB é uma capacitação audiovisual (básica) com carga horária total de 88h, e as alunas participarão dos cursos de Roteiro, Direção e Montagem com as realizadoras Melina Galante, Carol Covre e Liliana Mont Serrat. 


Além das formações e oficina prática de realização de filmes, a programação também conta com uma roda de acolhimento e palestra sobre a Lei Maria da Penha. 


O cinema de poesia é o gênero escolhido para a realização das produções por unir elementos reais e experimentais de ficção e de poesia, permitindo, assim, que um assunto tão delicado e sensível possa ser abordado com uma linguagem livre, sem perder o caráter importante da denúncia. As obras ficarão disponíveis para visualização no site do projeto e servirão de portfólio para as jovens cineastas estreantes.




1A Mostra CineMarias - Corpo é Território


O CineMarias também está com inscrições abertas até 16 de junho para filmes dirigidos por mulheres produzidos a partir de 2018. As produções irão compor as duas mostras competitivas de curtas-metragens (nacional e capixaba) da  1A Mostra CineMarias - Corpo é Território. As interessadas podem se candidatar no site www.cinemarias.com.br.
A Mostra também conta com workshops de criação gratuitos e masterclasses com profissionais reconhecidas do cinema nacional e capixaba. A programação educativa completa e suas inscrições serão divulgadas um mês antes do evento, no início de agosto.



Tema escolhido


Com o tema "Corpo é Território", o CineMarias 2022 propõe uma reflexão sobre a memória social da mulher a partir das experiências de seu corpo individual e coletivo nos espaços que ela ocupa. Quais lugares os corpos femininos ocupam?


O Brasil é um país que não se vê nos filmes. Embora seu território seja enorme e sua população majoritária seja preta, indígena, parda e composta por mais mulheres que homens, seu cinema é dominantemente branco e masculino. 


De acordo com a pesquisa divulgada pela Agência Nacional de Cinema (Ancine) em 2018, os 142 longas-metragens lançados em 2016, 75,4% foram dirigidos por homens brancos. Outro dado: nenhum de todos esses filmes foi dirigido ou teve como roteirista uma mulher negra.


Mulheres se vêem tão pouco na TV. O grupo AlterGen da Escola de Comunicações e Artes (USP) indicou em 2021 que, em média, 23% das matérias diariamente publicadas do mundo citam mulheres. Além disso, quando aparecem nas matérias, as mulheres não são citadas como especialistas, são sempre retratadas nos lugares tradicionais de gênero, ou mesmo por serem vítimas de violência.


Nem tão pouco as mulheres estão presentes na política. A Câmara dos Deputados, por exemplo, possui apenas 15% de mulheres; e o Senado Federal,12%. Em âmbito municipal, 900 municípios não tiveram sequer uma vereadora eleita nas eleições de 2020 (fonte: Agência Câmara de Notícias).


Assessoria de Comunicação


Rayanne Matiazzi


(27) 9 9843-9474/ rayanne.puriproducoes@gmail.com