_NOTÍCIAS

1A Mostra CineMarias anuncia filmes selecionados

12 curtas-metragens brasileiros dirigidos por mulheres participam da Mostra CineMarias 2022, que acontece em setembro com workshops e masterclass gratuitos sobre violência de gênero, audiovisual e protagonismo de identidades femininas nas telas, além de

Por Rayanne Matiazzi
03/08/2022 15:24

Chegou o dia de conhecer os filmes que irão compor as duas mostras competitivas de curtas-metragens (nacional e capixaba) da 1A Mostra CineMarias - Corpo é Território, que acontece de 1 a 3 de setembro, no Cine Metrópolis (Ufes). Das 229 inscrições recebidas, a curadoria selecionou 12 obras que representam a força das produções audiovisuais brasileiras da atualidade dirigidas por mulheres cis, trans, travestis e pessoas não-bináries. 


Totalmente gratuita e necessária no Brasil de hoje, onde o cinema é dominantemente branco, masculino e heteronormativo, CineMarias é um evento que estreia em festivais e mostras de cinema para ocupar um importante espaço de discussão sobre o protagonismo feminino nas telas e a falta de representatividade de gênero. Além de fomentar o debate a respeito do combate à violência contra mulher e refletir sobre a falta de visibilidade do tema na mídia.


A ação promove bate-papos, workshops e masterclasses gratuitos durante os três dias do evento.As inscrições e programação completa estarão disponíveis a partir de 8 de agosto em cinemarias.com.br. 


Para a Mostra Nacional, foram selecionados seis (6) curtas-metragens nos gêneros ficção, documentário e híbrido originários dos estados de São Paulo, Bahia, Ceará e Pará. “A curadoria pensou em contemplar várias regiões, promovendo esse encontro de realizadoras, de modo a abarcar a diversidade de produções para que as pessoas tenham a oportunidade de conhecer outras culturas”, destaca a realizadora audiovisual Suellen Vasconcelos, que integra a curadoria da mostra composta por três mulheres.


Já a Mostra Capixaba, exclusiva para produções regionais do ES, também conta com seis (6) obras distribuídas em documentário, videodança e animação. Em ambas as categorias, as realizadoras concorrerão ao troféu CineMarias de Melhor Filme e Melhor Direção, e a escolha das premiadas será feita durante o evento pelo Júri Técnico, composto por profissionais mulheres do audiovisual capixaba e nacional.


O público vai encontrar nos títulos temáticas que abordam a solidão e a solitude da mulher negra, vivência de mães solos, espiritualidade e patriarcados religiosos, e muitas outras, que agregam, ainda mais, ao tema da edição "Corpo é Território", que propõe uma reflexão sobre a memória social da mulher a partir das experiências de seu corpo individual e coletivo nos espaços que ela ocupa. 


“Fomos buscando amarrar os temas tanto de obras que tinham um apelo artístico mais forte, quanto obras que não tivessem um apuro técnico tão rígido, mas que de alguma forma provocam a gente e nos atravessam pela abordagem. Então um critério muito importante foi a pertinência do tema proposto nas produções e a visão criativa e original das diretoras”, afirma Vasconcelos.


Na ocasião, também será realizada a Sessão Especial CineMarias com exibição de filmes-poesia produzidos a partir do LAB Audiovisual de 2021 e 2022, um laboratório imersivo de capacitação da área voltado para jovens mulheres, entre 18 e 35 anos, moradoras de comunidades da Grande Vitória e interessadas em aprender cinema e vivenciar um set de filmagem pela primeira vez. As participantes receberam uma formação básica em roteiro, direção e montagem e ainda uma bolsa-auxílio de R$600 para a integrarem na ação educativa. 


Curadoria


Para a seleção dos filmes, o CineMarias contou com a curadoria formada pelas realizadoras audiovisuais Suellen Vasconcelos, que é diretora, montadora e som direto, professora dos Cursos Técnicos em Rádio e TV e Multimídia, e Mestre em Educação (UERJ); Gabriela Alves, realizadora audiovisual, diretora, roteirista, professora do curso de Cinema e Audiovisual da Ufes, e Doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ; e Milena Manfredini, cineasta, antropóloga, artista visual e curadora independente, graduada em Antropologia pela PUC-Rio e em Cinema pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro.


Nas inscrições, foram recebidos 229 filmes brasileiros produzidos a partir de 2018 com duração de até 25 minutos, de temáticas diversas. O foco era conhecer a produção atual concebida e dirigida por mulheres cis, trans, travestis e pessoas não-bináries. Cada proponente pôde enviar até duas obras dos gêneros documentário, ficção, animação ou híbrido. 


O CineMarias é um projeto social e cultural que por meio da arte busca estimular o protagonismo de mulheres e o aumento da representatividade de identidades femininas  e da diversidade de gênero nos espaços de poder, na mídia, na TV e no audiovisual. A ação possui o patrocínio da ArcelorMittal e apoio da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Cine Metrópolis; da Faesa, da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça (Comvides), da ONU Mulheres e do Todas Elas (Rede Gazeta). A produção é da Lúdica Audiovisual e a realização da Puri Produções e Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo – Governo Federal, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.


Filmes selecionados


Mostra Nacional


Bonita, de Mariana França de Lima (25'02", Doc, SP, 2022, 12 anos) 


Mãe solo, de Camila de Moraes (15'06", Doc, BA, 2021, Livre)


Fôlego vivo, de Juma Jandaíra (Híbrido, 25’, Crato/CE, 2021, Livre)


Arreda homem que chegou mulher, de Renata Monte  ( 25', Doc, CE, 2021, 14 anos)


Entre, de Ana Carolina Marinho e Luz Bárbara ( 15', Ficção, SP, 2019, 16 anos)


Flor de Mururé, de Priscila Duque (10', Ficção, PA, 2021, Livre)


 


Mostra Capixaba


Faz vinte anos, de Tati Franklin (6', Doc, ES, 2020, Livre)


Riscadas,  de Karol Mendes (15'23", Doc, ES, 2019, Livre)


Ruína do Futuro, de Dorottya Czakó (4'50", Videodança, ES, 2022, Livre)


Maria tomba homem, de Cíntia Braga  (8'23', Animação, ES, 2021, Livre)


Transviar, de Maíra Tristão Nogueira (13'09", Doc, Brasil/Alemanha, ES, 2021, Livre)


Metamorfose Concreta, de  Carol Covre, Lara Barreto, Narjara Portugal ( 2'57", Híbrido, ES, 2020, Livre)